domingo, 7 de agosto de 2011

alado;

Bordando
a vida
escapando da
saudade...

Ao deitar na cama
a calma se vai
Logo vem os
fragmentos de dois
na existência de um

do teto ao chão
você
do lado
alado
ardor
eu
desgosto calado
Agosto
derramado...

(Ana Morais)

16 comentários:

Noemya disse...

Só me resta o aplaudir e reverenciar vc e sua poesia!!!

iasmin999 disse...

"Ontem de manhã quando acordei
Olhei a vida e me espantei
Eu tenho mais de 20 anos
E eu tenho mais de mil
perguntas sem respostas
Estou ligada num futuro blue..."

(Elis)

iasmin999 disse...

eu sinto sua dor, eu sinto, porque voce nao escreve, voce coloca alma, sangue, sentimentos.... vc eh uma escritora de grande porte, nao perca isso, eh um dom lindo que te foi dado... parabens, menina em crescimento, em uma evolucao bonita, parabens!!!!
um dia vou ler e ter o prazer de comprar um livro seu!!!
bjos de uma fã, que admira o seu blog!!!

asamaniaco1987 disse...

Parabéns, escritora Ana!

Suzana Martins disse...

Agosto derrama-se em versos num emaranhado de palavras!!!

Beijos

Poeta da Colina disse...

Sobras numa cama...

Luna Sanchez disse...

Se é pertinho do amanhecer que a noite é mais escura, certamente é um pouquinho antes do sono salvador que a dor aperta mais.

Lindo, Ana. Sempre.

Um beijo.

Sandrio cândido. disse...

A imagem do bordar é bem desenhada

Erica Gaião disse...

Lindo, Ana!

Continue bordando a vida até o vento forte da saudade transformar-se em brisa leve da lembrança.

Respondi o e-mail.

Beijos, minha doce poetisa!

Anônimo disse...

que Agosto seja mais leve!!!
bjs poetisa
NANDA

Yasmin D. disse...

Parabéns seu blog ta entre um dos mais votados!!!
bjão poetisa

Carla Md. disse...

"eu finjo ter calma mas a solidão me apressa"
me lembrou essa música!!!

manuela barroso disse...

Uma espécie de sintonia nos acordes
das sílabas, que transportam estes estados de alma numa poesia belissima!
...e senti um pouco de mim!
Bji!

vanessa cony disse...

Quando trazemos dentro da gente lembrança de sentimentos, nem mesmo o passar do tempo consegue desvencilhar o amor do coração.
Beijo doce Ana.

Natalia S. disse...

belissima poesia!!

Fernanda Fraga disse...

Flor,
Eu adoro esse bordar da vida em todos os suas profundidades. Aprendi isso com o tempo. Nos alivia, nos fortalece.

UM beijo
Fernanda Fraga.