domingo, 11 de setembro de 2011

tombo;


Amor bagaço
coração engasgado
que num tombo
foi picotado...
descobriu da
pior maneira
que cada passo dado
era tempo perdido
agora
tudo transforma-se
em líquido...  

(Ana Morais)

11 comentários:

Mero Esmero disse...

Amar não é perda de tempo. Escrevo por experiência própria. Mesmo passando por situações as quais indicam o contrário, procurei não condenar o amor à guilhotina antes de ouvir o último desejo dele - o AMOR - sabe o que ele pediu? Para não ser assassinado nos confins de mim mesmo. É certo que não encontrei nem encontrarei o protótipo de princesa encantada - sabe-se que ela não existe. Mas... tente ver cada possibilidade de amar e ser amada (e elas vão surgir) com dois ingredientes fundamentais: intensidade e verdade.

Beijo terno e fraterno abraço!

Nilson Barcelli disse...

O amor, não sendo sólido, é mesmo tempo perdido.
Belíssimo poema, gostei imenso.
Ana, tem um bom domingo (ou o que resta dele...) e boa semana.
Beijos.

Emoções disse...

Os pintores e os poetas sempre gozaram da mesma forma do poder de ousarem o que quisessem.

Poeta da Colina disse...

E quam sabe tudo evapore

Erica Gaião disse...

Eu sei, Ana... Mas nem sempre os passos dados são perdidos. Normalmente eles nos levam à algum lugar. Nem que seja ao nosso próprio eu diluído.

Bom ter novos posts seus...

Beijos, querida!

Celso Mendes disse...

Quando se perde o viço, se escorre pela vala o sumo e sobra o bagaço, resta fazer novo plantio. É o que sempre ansiamos, ainda que com uma imediata sensação de queda de onde não se quer mais levantar.

um poema pequeno que diz muito.

beijo.

Luna Sanchez disse...

E escoa.

Entendo bem.

Um beijo.

vanessa cony disse...

Ana,não acredito em desperdício,pois até mesmo nos equívocos aprendemos a viver.Precisamos estar atentos aos sinais ,aos caminhos e as possibilidades.Entender o amor como uma via de mão dupla para não encararmos uma contramão.
Beijo moça linda.

Pollyanna Letícia disse...

As vezes tudo escapa das nossas mãos e o que pensávamos que era sólido vira areia...pó! Porque não tinha base...não era sólido.

Te entendo...Te compreendo...!

Parabéns.

Natalia S. disse...

sensivel, linda e criativa!!
bjs poetisa... continue sendo essa pessoa de dom unico!!

Friends:Renata e Juliana disse...

Lembrou-me a música:
"...escorre pelas mãos
Mesmo sem se sentir
Não há tempo que volte,amor."

*Saudade dessa docilidade criativa que flui.

Renata