sábado, 2 de julho de 2011

à deriva;


Se me tocar
Imagem: weheartit
sinto calor em
pleno inverno
Me faça de loba a noite inteira,
engravida-me de letras novas.
E no seu uivo
sopra o hálito quente
ou outro verso gosto de sáliva.
O segredo da chuva fina
é a reflexão feita
numa cama desarrumada
banhada de dois corpos
esparramados
à deriva do pensamento...
(Ah, a memória da derme
atravessa a linha do provocante)

(Ana Morais)

8 comentários:

Sandrio cândido. disse...

Ana morais
tamanha sensibilidade a sua
beijos

Celso Mendes disse...

as memórias da derme têm o cheiro do toque.

muito bonito e sinestésico, Ana!

beijo.

Nara disse...

Lindo post!!!
Parabéns...

Yasmin D. disse...

maravilhoso eh ter onde mergulhar, nesse teu ser tao lindo!!!
amei...
bjs poetisa

Anônimo disse...

uaau, poetisa!!
que amor pra provocar a sua pele e seu poder de escrever é esse??
linda paixão, lindo o modo que gosta dos detalhes... bela observadora de efeitos que ninguém muitas vezes nao nota!!
bom sábado, minha escritora preferida!!
bj
NANDA

Poeta da Colina disse...

Nos lençóis encontramos algo além de nós.

Friends:Renata e Juliana disse...

Palavras para salvarem corações à deriva...

^^
Beijo,Ana.

Erica Gaião disse...

Ana, minha doce poetisa!

PERFEITO! Encontrei aqui o segredo da poesia... E descobri entre um verso e outro que o poeta é um ser eternamente apaixonado.

Beijos, querida e uma semana iluminada