sexta-feira, 29 de julho de 2011

Dias...


Passei dias rasgando verbo
Fugindo de letras e papéis
Passei dias suaves
sem lembrar
de promessas não cumpridas
ou  expectativas exageradas
Passei dias aprendendo
com uma alegria que não me inspirava
mas me embrulhava em um cobertor macio
Passei dias sem dor no peito
e respirar pesado
Passei dias longe do que me deixa exausta
passei dias distante de múltiplos sentimentos
Fiz dos dias a morada do acaso
e descobri que quando não escrevo
o destino age com mais tranquilidade
(sem marca-passos)
Passei dias ouvindo a canção da rotina
apagando fios de memória
Passei dias em paz comigo
sem dito, apenas feito
Passei dias repousando nos lençóis
do meu eu.
É, passei alguns dias assim e sinto falta...

(Ana Morais)
  

12 comentários:

Sandrio cândido. disse...

Gostei da delicadeza com que escreves
beijos

Erica Gaião disse...

É... Às vezes ausentar-se daquilo que nos faz descarregar tristezas é necessário para encontrarmos a felicidade. E reconhecer que tudo, absolutamente tudo que existe com verdade, alcança a vida. Até as tristezas.

Lindo e delicado...

Beijos, minha querida Ana

Rachel Nunes disse...

Dias sem o tormento do que nos dá paz.

Menina no Sotão disse...

Perturbou-me um pouco as linhas desse poema, preciso ler de novo e novamente.

e descobri que quando não escrevo
o destino age com mais tranquilidade

Causou-me desatino, nunca tinha imaginado o ato de escrever desenhando interferências no humano destino. Interessante...
E no final você menciona a falta que dias assim te faz. Lembro-me Rilke e sua carta onde ele diz para um jovem escritor investigar seu íntimo. rs

bacio

Celso Mendes disse...

Sempre que desejo contar alguma coisa, não faço nada; mas se não desejo contar nada, faço poesia.(Manoel de Barros)

há dias de busca, dias de descanso, dias de trabalho, dias de contemplação, dias de escrever e dias de não se fazer nada. todos são fundamentais para se conseguir o equilíbrio.

beijo, Ana!

Assis Freitas disse...

escrever é esse exercício de sentir-se vivo,


beijo

Luna Sanchez disse...

Ufa...respirei aliviada no final, Ana!

=)

Um beijo.

Mero Esmero disse...

Há momentos em que os dias são meros instantes 'encasulados' em períodos de 24 hs. Usemos pois a magia das palavras versificadas para torna-los mais leves ou intensos dentro de si mesmos.

Poeta da Colina disse...

Ao menos fica a certeza de que são possíveis.

Nielson Alves disse...

Esse nada é tudo que nós inspira.
Seu texto é forte, ligeiro e doce.
Adoro seus escritos, isso fica como tatuagem dentro da gente.

beijos e flores

vanessa cony disse...

Pois são esses mesmos dias que ensinam até mesmo na correria que o amor verdadeiro é amor correspondido,recíproco;amor verdadeiro é troca livre,sem amarras pois é feito apenas de belos laços coloridos.
A gente aprende um dia...
Beijo querida Ana.

Tecendo Encanto disse...

Sempre indo bem com as palavras. Escrever é bom, mas para o Leitor, melhor ainda!
By: vaalll