quarta-feira, 11 de maio de 2011

recente;

anda bem complicado por aqui, admito.
correr pra onde não se pretende ir,
é morrer um pouco, perder os desejos
a cada tentativa errada.
me preservo, concluo minhas confusões
e vou mudando de querer... 
mas por mais que eu molhe os lábios
em outras bocas, não encontro aquele gosto.
por mais que, os rostos diferentes passem pelo meu,
não sinto aquela barba roçar no queixo.
por mais que, os olhos enxerguem
em mim um encanto, não me deixo guiar por
esses "novos" caminhos, que acho
insuficientemente reluzente.
o velho é sempre recente, presente.
E eu termino me perguntando: Será que terá um fim?



(Ana Morais)

5 comentários:

Carla Md. disse...

quem será esse sortudo? fico encantada por tudo aqui!!
blog maravilhoso, escritora magnifica, parabéns!!
boa quarta, minha linda e adorada menina!!
bjs doces

Manoel Britto disse...

será se terá um fim?
será se queres este fim?
Precisas saber se prefere viver com a nostalgia do seu amado, o abrir outro caminho na vida e deixar ele de lado.
Mas fácil é valer é na escolha que tanto hesitamos.
Parabéns, lindo texto, bjs

Cláudia Costa disse...

"O velho é sempre recente, presente...E me pergunto: Será que terá fim?"

Partilho 100% desse sentimento, onde por mais que venha o novo, o velho permanece ao lado, ofegante, sorrateiro, nas sombras ao pé do meu ouvido, sussurrando baixinho: Será?

Adorei o que li aqui. Muito me agrada quem escreve suas profundezas. Parabéns.

Cafundó disse...

O Amor não se amarra, Ana.
Nem morre na marra!
Lindo seu poetar!

Friends:Renata e Juliana disse...

Renata disse:
O passado relembrado,que não é presença,mas a cada dia é mais ausência.
=)*