terça-feira, 12 de abril de 2011

ao deitar;



É fácil falar sobre esperas que não são suas.
É fácil atravessar as ruas quando se tem paradeiro do outro lado.
É fácil ignorar cartas, e-mails, caixas de correio, telefone,
agendas e mensagens enquanto nada se aguarda.
É fácil quando não existem sobras das paredes.
É fácil não se preocupar com a memória da pele, com o casaco, o quarto, o avesso ao deitar.
É fácil quando não se existe tensão, fardo, acúmulo, corpo ardendo em ausências.
É fácil porque não são nos seus lábios que estão desenhados os beijos que perfumam o céu da boca.
É fácil julgar versos que não são sentidos.


Ana Morais

15 comentários:

A. Duarte disse...

Você é uma Florbela Espanca chamada Ana Morais... Muito me parece as dores das duas!!
Me indentifico com o seu jeito de escrever bonito!!

N. Amorim. disse...

inesquecivel, intenso... tomando conta de todo o espaço!!
respeito tudo que escreve e me encanto mais ainda!!

Walquiria disse...

A dor do outro , a falta do outro, nem sempre dói em nós...

Algumas pessoas precisam senti-las para entendê-las.

Belo post.

Bjs doces

P.S. Obrigada pelo carinho!

Roberta Galdino disse...

oi amei o blog
te sigo
bjo
http://rgqueen.blogspot.com

Nilson Barcelli disse...

Olá Ana
Obrigado pela tua visita, volta sempre.
Pelos posts que li, fiquei a gostar do teu blog.
Beijos.

Celso Mendes disse...

É fácil olhar a brasa em outra pele...

Gostei muito do poema, especialmente do fecho!

Beijo, amiga!

Poeta da Colina disse...

Na verdade, a escolha é sempre muito simples.

N. Maria disse...

uma verdade dolorida,senti o desabafo... Respeito tudo que divulga em seu blog, é sempre muito da alma, do coração, cheio de emoção!! Lindo post, parabéns!!

Noemya disse...

Doces versos de uma espera amarga!!
bjs poetisa

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Ana, que postagem bonitinha. Adorei! Cria uma grande expectativa no que se refere à gente (não é fácil). Do contrário é mais fácil, né?
Adorei o seu blog. Muito lindinho. Nem vou seguí-lo. Vou perseguí-lo.
Adorei o seu comentário lá no Óbvio.
Um beijo com carinho.
Manoel.

Luna Sanchez disse...

É mesmo fácil usar palavras vazias e dar conselhos idem...só quem sente é que sabe, sim.

Um beijo, belo post!

! Marcelo Cândido ! disse...

Resumindo, não é fácil viver assim...

Abraços
Grande texto...

Milene R. F. S. disse...

É fácil julgar o que não é conhecido e sentido na própria pele, não? E nesse mundo de muitos julgamentos e pouca compreenção, como muitas vezes nos sentimos sós! Belo querida, beijos.

iasmin999 disse...

cada dia me surpreendo aqui, fica mais gostoso te ler... peça rara no mundo!! bjão

Erica Gaião disse...

Ana,

Todo dia passo aqui pra ler um pouquinho da sua poesia e me encanto. Essa é de fazer o coração pular... Eu me vi aí, vivendo essa ansiedade da espera. E também não acho fácil suportar essas coisas todas, quando há dentro de mim expectativas.

Lindo!

Beijos e um ótimo fim de semana