quarta-feira, 13 de abril de 2011

ainda me inspira;

Desisti de salvar os minutos
onde não te desenho nas páginas.
Tentei por um triz não pensar mais.
mas como te deixar pra depois?
O coração nem sabe esperar e nunca aprende...
Penso nas lembranças que tiram o fôlego,
vou escapando, derrubando o que devasta,
querendo ser mais minha e menos sua.
Falo sério com Deus e re-pe-ti-da-men-te pergunto:
O que fez ele encostar aqui e ficar?
E em seguida faço uma prece.
- Se for algum erro querê-lo a cada 
prevalecer, amanhecer, anoitecer, 
sem ao menos vê-lo,
me salva desses encontros que projeto
em milhares de lugares.
me leva pra longe dos retrocessos grifados
de cenas que nunca pedem licença ao entrar.
Aqui remexe uma vontade de escrever,
de dizer tanto e também...
Que o Janeiro ainda me inspira,
as palavras falham e o som da tua voz 
fala tudo que quero escutar,
me atrevo a repousar sossegada.
que seja assim, por mais essa noite.


Ana Morais

5 comentários:

iasmin999 disse...

"Se for algum erro querê-lo a cada
prevalecer, amanhecer, anoitecer,
sem ao menos vê-lo,
me salva desses encontros que projeto
em milhares de lugares"

adorei!!
bjs da sua fã, minha escritora predileta

Tatiana Kielberman disse...

Olá Ana!

Obrigada por visitar meu blog e deixar suas impressões.

Já estou te seguindo aqui, adorei seu estilo!!

Beijos!

Carla Md. disse...

"Desisti de salvar os minutos
onde não te desenho nas páginas"

lindo demais!!

Carol :) disse...

Outro cantinho que me identifiquei e sempre estarei...
Com toda essa coincidência, permanecerei aqui, lendo, lembrando, sentindo e suspirando... aliviada por alguém sentir com a mesma intensidade o que eu luto pra esconder.

Beijos =)

iasmin999 disse...

nasceu pra transcrever bem a vida, sentimentos... lindo!!