terça-feira, 19 de abril de 2011

chove mais;




Reviravolta, vida revira
escondo os retalhos do coração.
a paz virá
me conduzindo com 
suas mãos delicadas.
trilho, em passos largos
num mundo que não 
sei o nome do dono,
e com um olhar de 
fera assustada...
só quero 
o brilho dos dias 
mais completos,
o corpo já suporta tanta física,
e  sem o amor 
tudo vira deserto
fracasso carimbado, 
poemas reeditados.
com ele, formas de estrela
rastros de cometa,  lua cintilante
luz de velas, enfeites,
surpresas aos ouvidos
como uma Bossa nova e tal. 
que assim seja, pelo menos...
Pisco o olho e observo
uma pontinha
desesperada da esperança,
brotando
entre o verde da grama.
Cochila não chuva, cochila não 
chove, chove, chove mais
danço pra você, te chamo, 
te desenho nas minhas letras
te provoco tempestade.
mas chove, ela precisa crescer, 
crescer até criar raiz
tom, semente.
a água vai lavar e vigorar 
o que seco estar

Ana Morais

11 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Poema belíssimo e bem escrito.
Gostei, querida amiga Ana.
Beijos.

Jasanf disse...

Somente através de intensas reviravoltas que reconstruirmos nossos horizontes. Lindo poema! virei seguidor e pretendo voltar de fez em quando. Depois passe em meu espaço http://lectandome.blogspot.com
Abraço fraterno,
Jasanf.

Elisabete Lira disse...

Seu blog é muito interessante...
Estou te seguindo.... Tenha um Lindo Dia!
Siga meus Blogs: http://cartasdeumcoracao.blogspot.com/
E
http://deusemminhaalma.blogspot.com/

iasmin999 disse...

Nossa!! Você manda muito bem, adoro tudo por aqui. saõ textos belissimos ;)

bjs poetisa

Carla Md. disse...

UAU... fico sem palavras!!
por isso sou sua fã!!

bjs poetisa;**

GinoBig disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Poeta da Colina disse...

A chuva lava a alma. Mais do que crescer o importante é que ela leve o que não serve mais.

Cafundó disse...

Lindo poema, Ana.
Aqui tudo tem vigor. Ganhei o dia!

Idiótica. disse...

Encantador.

Friends:Renata e Juliana disse...

Renata disse:
Vc se supera a cada post!
Tão delicado e fácil me encontrar nas tuas palavras...

:)

Chris disse...

Olá Ana

Efectivamente assim parece ser " sem o amor tudo vira deserto, fracasso" mas pergunta-se que amor?
O que sentimos por alguém ou o que alguém sente por nós?
É que o que nós sentimos por alguém pode acarretar-nos muita tristeza, pode fazer-nos infelizes enquanto que aquele que alguém sente por nós só nos traz felicidade e faz com que andemos nas nuvens.
Ambos são iguais, dizem os filósofos, e ambos sentimos de modo tão diferente.
Gostei imenso do seu poema. Ele consegue que falemos, troquemos ideias e opiniões e quando assim é a sua finalidade foi conseguida.
Beijinho

Chris Morris